Tecnossauros e Softwaressauros

Tecnossauro é um termo criado pelo autor italiano Nicola Nosengo e apresentado no livro “A extinção dos Tecnossauros”. Refere-se aos objetos tecnológicos que caíram em desuso, foram abandonados, ou não emplacaram. Existem tecnossauros mais e menos famosos, mais e menos esquecíveis. Entre os famosos estão laser-disc, o fax (este fez sucesso!), palmtops, etc. Entre os menos famosos, descobri um curioso. Em plena década de 1990, havia um aparelho que apitava quando chegava um novo-email! Hoje seria uma sirene.

Mas às vezes, um tecnossauro surpreende e ressuscita. O toca-discos de vinil é exemplo glorioso de um tecnossauro que deu a volta por cima, para desespero de quem se livrou dos vinis, vinte anos atrás.

Será que existe noção equivalente para softwares? Tipo softwaressauros?

Se você viveu o início da Internet talvez se lembre do gerenciador de emails Eudora, do navegador Netscape e do editor de imagens PaintShop, do buscador Cadê, entre outros. Talvez você tenha feito parte de alguma comunidade do Orkut também. Todos tecnossauros campeões em suas áreas.

O aparecimento e desaparecimento desses programas dão uma ideia de sociedade e da cultura de uma época. Todo tecnossauro tem uma agenda que não vingou ou uma metáfora que deixou de funcionar. O que entendíamos por “comunidade” no Orkut é bem diferente da ideia de “grupo” no Facebook, se é que podemos comparar. Usar o Orkut não trazia gratificação emocional na forma de likes ou coisa parecida. Isso virou, simplesmente, o motor das redes sociais.

Quais cataclismas fazem surgir tecno e softwaressauros?

A mudança de versão do sistema operacional dos computadores é um deles. Mas há também empresas que fabricam tecnossauros e softwaressauros de forma deliberada e maliciosa. A Apple foi multada recentemente por atualização que inutilizava os aparelhos da companhia (link para isso, se você não acredita: https://www.tecmundo.com.br/mercado/131418-apple-multa-atualizacao-inutilizava-aparelhos-iphone.htm ).

Profissões inúmeras ao longo da história também viraram profissauros e sobre isso deveríamos nos preocupar bastante. Nicholar Carr, no livro “Será que TI é tudo?” cita o exemplo do profissional de energia elétrica. No final do século XIX, quando as indústrias tiveram que fazer grandes investimentos em energia elétrica para e manterem competitivas, havia a figura do “diretor de energia elétrica”. De certa forma algo parecido pode estar acontecendo hoje…Quando tudo for TI, ainda existirá um diretor de TI ?

No campo da educação, podemos construir um parque dos tecnossauros e softwaressaurosà parte, com muitos professauros soltos dentro dele, mas isso fica para outro texto. Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close