Aula de Cálculo na 6af à noite: desafio e inspiração para professores

homemserio“75% da população adulta brasileira não consegue ler ou entender uma notícia simples de jornal… O Brasil é o 2o. país do mundo em que as pessoas estão mais alheias à realidade. “ (https://observatorio3setor.org.br/noticias/brasil-tem-2o-populacao-mais-fora-da-realidade-do-mundo/)

O mais preocupante deste tipo de levantamento, se for verdade, é que percepções erradas da realidade geram diagnósticos errados dos problemas do país e, consequentemente, levam a escolhas e a soluções inadequadas.

Evidentemente a má formação intelectual das pessoas tem raízes na formação escolar,…mas como melhorar a qualidade do ensino?

O sistema educacional brasileiro tem cerca de 2,5 milhões de professores e 5 milhões de pessoas envolvidas diretamente com educação. Mexer nesse sistema é tão complicado quanto tentar empurrar um trem com as mãos. Tente lembrar de uma mudança na educação no Brasil que tenha dado certo a longo prazo!

Se não conseguimos mexer nos salários dos professores ou melhorar suas condições de trabalho, resta premiar alguns, com a esperança de que sirvam de exemplos para os demais.

Por conta disso, a Fundação Victor Civita promove anualmente o prêmio Professor Nota 10 e o próprio MEC criou o Prêmio Professores do Brasil.

Diz o texto do site: é uma iniciativa do Ministério da Educação juntamente com instituições parceiras que busca reconhecer, divulgar e premiar o trabalho deprofessores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos deensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula.(http://premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br/)

É regra que o professor premiado atue em situações adversas mas que tenha conseguido encontrar um caminho original para contornar os problemas.

No Global Teacher Prize (premiação internacional para professores), recentemente um brasileiro foi colocado entre os 10 melhores professores do mundo. Daniel Faria Lima é diretor de uma escola pública em São José do Rio Preto. Nesta escola havia alta evasão, era dominada pela violência e o aprendizado era o menor dos interesses dos estudantes. O professor Daniel conseguiu inverter a situação e melhorar a qualidade do ensino. Para isso. basicamente, ele foi capaz de envolver a comunidade nos assuntos da escola. (https://veja.abril.com.br/brasil/brasileiro-esta-entre-os-dez-melhores-professores-do-mundo/)

Como se mede a qualidade de ensino de uma escola ?

Índices de qualidade são medidos com base em resultados de exames que os alunos fazem como ENEM e IDEB. Aliás, em geral, há grande resistência em se medir a qualidade do trabalho dos professores individualmente.

A ironia é que hoje a percepção de qualidade das escolas é alta enquanto as escolas são ruins, sem que os pais se dêem conta disso.

Gustavo Ioschpe, economista, defende que muitos problemas da educação seriam resolvidos se os pais tivessem uma percepção realista da qualidade da escola em que seus filhos estudam. Para isso, ele sugeriu colocar uma placa com a nota do IDEB na porta de cada instituição.

(https://veja.abril.com.br/educacao/gustavo-ioschpe-derruba-12-mitos-da-educacao-brasileira/)

Entre as críticas que se faz a esta ideia, está a de que iria aumentar a pressão sobre os professores e humilhar os estudantes…será mesmo?

Voltando ao Global Teacher Prize, existem pelo menos cinco atitudes que poderiam melhorar a qualidade do trabalho dos professores, são baratas, dependem só dos próprios professores…apresento algumas delas aqui:

Um estudo de Caso

Na linha do “tudo está contra mas eu consigo” ou “faz escuro mas eu canto”, um amigo professor, um dos melhores que já conheci, consegue dar aulas de Cálculo de 6a. feira, às 22h30m com sala cheia. Vou chamá-lo aqui de Prof. A.

Prof. A. desenha integrais na lousa para uma plateia de alunos atentos e interessados em aprender – ecoa pelos corredores vazios da faculdade a descontração dos alunos: eles estão se divertindo enquanto aprendem Cálculo naquele dia e horário!

Como o Prof. A consegue ?

Vou listar as recomendações do Global Teacher Prize e escrever ao lado, o que faz o Professor A nas aulas que pude assistir (quis saber o segredo e invadi a sala algumas vezes):

#1: ALUNO NÃO DEVE FICAR EM PONTO MORTO : Professor A. quase não dá as costas aos alunos, ele caminha pela sala o tempo todo e vê o que cada um está fazendo.

#2: UTILIZAR NOVAS MIDIAS: Prof. A usa recursos em vídeo da Internet e acompanha a evolução dos alunos segundo o uso desses recursos entre uma aula e outra.

#3: CURRÍCULO DÁ NORTE MAS PRECISA SER USADO COM FLEXIBILIDADE: Prof. A. leciona Cálculo há muito tempo mas nunca parou de estudar e de buscar novas estrategias, de acordo com as necessidades da turma.

#4: ATENÇÃO INDIVIDUALIZADA: Prof. A sabe o nome de todos os alunos! (é quase simples, por que não nos preocupamos com isso?)

#5: PROFESSOR NÃO PODE VIVER EM UMA BOLHA: Prof. A. se interessa pelos alunos e sabe escutá-los, isso faz enorme diferença para eles.

Uma curiosidade para encerrar: o professor A. nunca ouviu falar do Global Teacher Prize…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close