Quem nunca plagiou, que atire a primeira pedra!

tela_lampadaProgramas anti-plagio tem cerca de dez anos e são muito limitados na busca do que seria o mais importante: plagio das ideias. Apenas a ocorrência de textos que foram escritos com as mesmas palavras são comparados.

O algoritmo percorre o texto original a ser testado selecionando e copiando trechos, ao mesmo tempo que percorre e compara em diferentes mecanismos de busca aquele grupo de palavras…e vai anotando os links dos sites quando há coincidência.

A busca é refinada de acordo com o número de palavras em cada comparação. Poucas palavras vão resultar em muitas coincidências o que pode dar uma impressão falsa de plágio (por exemplo, duas palavras que correspondam a um nome). Enquanto muitas palavras na chave de comparação tornam a comparação imprecisa. Na media, experimenta-se com cinco a oito palavras em sequência.

Ao final do processo de comparação, o programa apresenta um relatório indicando para cada trecho onde estão e quantas coincidências ocorreram. Isso dá um “peso” do quanto o texto original foi copiado. O relatório final lembra um atestado criminal.

Veja no exemplo abaixo, desde o ato de plágio até o relatório do software anti-plágio. Está dividido em duas partes:

(1) https://youtu.be/Z1xQtR2RWQ4

(2) https://youtu.be/xMuYGEvwrgU

Como se baseia em comparação de textos idênticos, basta o aluno/autor usar um bom dicionário de sinônimos, seguir normas técnicas corretamente e ter alguma paciência, para enganar a maioria dos softwares anti-plágio e muitos avaliadores.

Se você faz citações de forma correta, não há plágio mas isso pode esvaziar o seu papel deautor. Se a parte principal do material vem de trabalhos de outros, você é um comentaristaou um compilador de ideias, talvez não um autor.

Com a Internet ficou difícil saber quem disse algo primeiro. Assim, questões de autoria e plágio são agora bem mais complicadas de se tratar.

Muitos alunos ( e muitos de nós) se confundem na forma de citar trabalhos dos autores que consultaram.

Questões de integridade intelectual, benchmarking, como prevenir e checar plágio, auto-plágio, creative commons,…tudo isso poderia ser objeto de uma disciplina atualizada de Metodologia Científica. As citações técnicas agora são feitas automaticamente em sites como http://more.ufsc.br/inicio – não faz mais sentido ensinar isso !

Um belo site/blog sobre plágio que merece ser visitado é http://plagiarism.org

Quem nunca plagiou, que atire a primeira pedra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close