Aprender programação ou não: eis a questão!

Algumas pessoas me perguntam se deveriam aprender linguagem de programação…quando a pergunta parte de estudantes de graduação é uma coisa, quando parte de pessoas maduras que atuam em outras áreas que não diretamente TI, é outra e bem diferente.

Aqui vai uma tentativa de elaboração.

Muitos anos atrás, antes da Internet (sim, existiu essa época!), os pesquisadores mais respeitados da área de tecnologia educacional defendiam que as crianças deveriam aprender uma linguagem de programação desde cedo nas escolas. Mas não um aprendizado como um fim em si mesmo. Aprender programação seria um veículo para organizar ideias, externalizar o pensamento, refletir e agir sobre ele, ajudar a interpretar problemas, etc. Era uma visão assumidamente low-tech, sem nenhum viés de mercado. E havia uma base teórica inspirada nos grandes nomes da educação.Ver [1].

Hoje, o tema programação para crianças está voltando com força total: franquias oferecem cursos livres que se espalham pelo país…há um clima no ar para que se inclua programação como componente curricular obrigatório nas escolas básicas. Ver [2].

O ensino de programação para crianças, é muito mais fácil de implementar quando é um fim em si mesmo, tal qual aprender Inglês. Agora, capacitar professores para fazer da programação um “meio”, é muito mais complicado e quase nunca conseguimos.

Vale a pena aprender uma linguagem de programação?

Argumentos a favor e contra são fáceis de encontrar. Apresento alguns deles.

#1 – Quanto antes aprendemos a programar, mais chances temos de competir com sucesso no mercado de trabalho do futuro, altamente tecnológico. O problema é que o mercado de trabalho muda tão rapidamente que é muito difícil saber onde estará em 5 anos. Bom lembrar também que os salários em tecnologia, no geral e na media, estão caindo (pelo menos em algumas áreas) e há quem aponte uma nova “proletarização” vinculada ao mercado de tecnologia. Ver [3] e [4].

#2 – Se você é maduro e está empregado, pode usar essa nova habilidade para melhorar sua empregabilidade e entender melhor as ferramentas que tem que usar no dia a dia. É verdade! Mas o que garante que sua empresa não será vendida amanhã para um grupo chinês? Neste caso, aprender Mandarim não seria melhor?

JavaScript ou PHP ? Python ou Ruby ? Perl ou Mandarim??

#3 – Aprender programação é a melhor forma de entender como algoritmos funcionam e como manipulam nossos comportamentos. Ter uma noção de como os algoritmos funcionam nos ajuda a enxergar que simulacros são simulacros, fortalece nossa capacidade de duvidar. Este é um bom argumento! Ver [5].

Você já parou para pensar na diferença entre um propaganda na TV e um anúncio em redes sociais? O primeiro tenta lhe convencer por insistência, o segundo monitora, prevê e tenta modificar o seu comportamento o tempo todo. E você não faz ideia do que está acontecendo !

Não sendo coaching (nem Hamlet), não sei responder a pergunta do início. É mais fácil dizer que cada um é cada um…depende da estrategia de desenvolvimento de carreira que se queira seguir.

Entretanto, no caso de professores da área de Exatas, em qualquer nível de ensino, acho estratégico saber programar, pelo menos um pouco.

Pense bem: as fórmulas matemática prontas tendem a ser banidas das salas de aula e o que entrará no lugar? Não seria interessante aprender equações do 2o. grau “ensinando” o computador (isto é, programando) ?

Para pessoas de qualquer área, aprender uma linguagem de programação enriquece e abre possibilidades de novas articulações de pensamento. Sempre tem algum sistema de informação por perto que pode ser melhorado ou usado melhor se a pessoa tiver alguma visão de programação ou um pensamento lógico mais refinado. E, bom lembrar, a maioria das pessoas pára de estudar Matemática ao fim do ensino medio, e muitas carregam más lembranças das experiências com as aulas de matemática.

Por fim, no mínimo, a programação nos torna usuários melhores, mais criativos críticos em relação à tecnologia (e não deixa de ser um bom exercício mental) !

PS: no caso de alunos de TI, saber programar é uma das bases da formação mínima necessária, mas este é um tema para outro post…

[1] https://www.nied.unicamp.br/biblioteca/computadores-e-conhecimento-repensando-educacao/

[2] https://noticias.portaldaindustria.com.br/listas/8-razoes-para-ensinar-programacao-a-criancas-e-adolescentes/

[3] ANTUNES, R. O privilégio da servidão. O Novo Proletariado de Serviços na Era Digital. São Paulo: Boi Tempo, 2018.

[4] https://www.infomoney.com.br/carreira/salario-medio-de-alguns-cargos-ja-caiu-43-saiba-quais-foram-mais-atingidos/

[5] https://www.youtube.com/watch?v=BXjRaoTPlPE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close